quinta-feira, outubro 26, 2006

Votar "Não" é lutar em defesa da vida e não dos interesses políticos

Após ler o interessante e muito rico post do Vitório Rosário Cardoso, "Outra razão para dizer "Não" ao Aborto - Defender a Nação é defender o Sangue de Portugal!", percebi que nós os defensores da vida corremos um risco que convém, desde já, esclarecer.
Esta luta está muito longe de ser uma luta partidária. Se alguem o entende assim que fique bem ciente que só se engana a ele próprio. Esta luta é pelo triunfo da vida e dos valores humanos e da sociedade. Não a luta por um triunfo politico de uma qualquer facção ou partido. É normal que todos, sobretudo os mais ligados à politica, sigamos a tendência do partido que apoiamos. Mas convém que estejamos bem cientes de que cada um ao votar não está a promover o seu partido nem o seu líder, mas sim a promover algo que faz parte dos seus valores enquanto ser humano, algo que está intimanete ligado à sua maneira de ver o mundo e que não pode estar nunca ligado a uma cor de esquerda ou direita. Aqui sim podemos dizer que a nossa posição "não é de direita nem de esquerda", é pelo bem do país e dos seus valores.
Estão enganados aqueles que olham para os que votam não como "os nazis". Pessoalmente conheço pessoas de quase todas as "cores" politicas que apoiam o não e o mesmo acontece com os que votam sim. E isso não é ser incoerente na sua ideologia. Não deve ser visto assim! Não acredito que nenhum de nós concorde a 100% com todas as ideias e opiniões emitidas pelos lideres políticos dos seus partidos.

Por isso concluo sublinhando o título deste post: Votar "Não" é lutar em defesa da vida e não dos interesses políticos

7 Comentários:

Anonymous Anónimo escreveu...

Esta campanha fá-la-emos contra o Poder. E a consciência de um povo é sempre mais forte do que a ideologia de muitos políticos.

É impressionante entrar a fundo nesta questão, porque um poder que não se revê na própria matriz cultural e civilizacional que o deve suportar e ser parâmetro da sua actuação, enquanto defende os seus interesses, está apenas cheio de si próprio.

Eu voto NÃO ao aborto livre em Portugal.
Eu voto NÃO ao poder político narcisista que temos.

Sempre fui do contra....

Catarina

10/27/2006 01:16:00 da manhã  
Anonymous Cao ariano escreveu...

sieg heil irmao..

10/27/2006 09:18:00 da manhã  
Anonymous Paiva escreveu...

concordo contigo quando desligas a questão do aborto com as questões políticas. No entanto gostava que me respondesses sobre a forma de resolver mais de 10 000 abortos/ano em portugal. Ou seja, o que podemos fazer para que não hajam abortos? quando encontrares resposta a esta pergunta, toda atua fundamentação fará sentido..

10/27/2006 02:10:00 da tarde  
Blogger Cão Danado escreveu...

não é por não conseguir controlar o facto de alguem cometer um crime que vamos descriminaliza-lo. como já disse antes, mais de 90% dos condutores andam em excesso de velocidade na estrada. apenas uma parte é ou já foi multada. não é por isso que se vão eliminar os limites de velocidade.

10/27/2006 02:27:00 da tarde  
Blogger Vitório Rosário Cardoso escreveu...

Caro "Cão Danado", obrigado pelas suas amáveis palavras e pronto esclarecimento. A mensagem transmitida por mim não foi mais do que chamar à atenção para a importância da vida em comunidade nacional e também em comunidade universal, dado o nome por humanidade.

10/27/2006 11:54:00 da tarde  
Anonymous Anónimo escreveu...

paiva,

antes de resolver isso, prove-me esses números.

depois, a fórmula é para os quadrados... nós trabalhamos desde 98 (e antes!) no apoio a mães em dificuldade, que QUEREM ter os filhos, se houverem suportes.

Portanto a tendência é clara: criem-se estruturas de apoio como o Ponto de Apoio à Vida, a Casa de Santo António, as ADAV de Coimbra e Aveiro, a Vida Universitária (quer que continue?...), para fazer face a um drama real de mulheres, cujo problema não são os tribunais (isso são problemas do bloco de esquerda), mas sim que o Estado não promove uma cultura de apoio a quem precisa.

Cumprimentos,

Catarina

10/28/2006 02:06:00 da manhã  
Anonymous JOANAF escreveu...

Paiva - em Portugal são 123 por ano!

MILHÕES POR CAUSA DE 123 CASOS ANO? JUSTIFICA-SE?
MEU CARO O ABORTO JÁ ESTA LEGALIZADO DES 1998! JÁ QUE SABE TANTO DE NUMEROS...POSSO MANDAR-LHE SE QUISER UMA LISTA COMPLETA COM O NUMERO DE FAMILIAS AJUDADAS PELAS INSTITUIÇÕES DE APOIO Á FAMILIA E Á CRIANÇA...! ESTE BLOG NÃO IA CHEGAR!
O PROBLEMA DE MUITOS É QUE NÃO PENSAM! GOSTAM DE SER DO CONTRA. PAIVA PENSE! E FUNDAMENTE AS SUAS RAZÕES. O "SIM" NÃO TEM NADA. O "NÃO" TEM NUMEROS, CONCRETOS, ANUAIS E HISSTORIAS, MILHARES DE PESSOAS REAIS. PORTUGAL FAZ UMA TEMPESTADE NUM COPO DE ÁGUA COM A MEDIATIZAÇÃO QUE ALGUNS ORGÃOS DE COMUNICAÇÃO SOCIAL FIZERAM A 5 MULHERES QUE FORMA JULGADAS. SERIA BONITO, AGORA, TODOS OS ARGUIDOS (MILHARES NOTE BEM) PEDIREM DESPENALIZAÇÕES POR TEREM DADO UM TIRO NO VIZINHO, TEREM CONDUZIDO EMBRIAGADOS, ATROPELADO 3 JOVENS DE 20 ANOS, OU A EMPREGADA DO LAR QUE MATOU 7 IDOSOS COM VENENO. O VALOR DA VIDA É O MESMO, EM QUALQUER FASE! ATÉ À MORTE NATURAL! SOMOS TODOS HOMENS E MULHERES! DAR VIDA É DAR ESPERANÇA AO FUTURO! POIS A VIDA É ALGO MAIOR QUE NÓS. SUPERIOR!

CUMPRIMENTOS

P.S. NÃO SOU UMA TARTARUGA! NEM UM OVO DE CEGONHA! SOU UMA MULHER! E VOU VOTAR "NÃO"!

10/28/2006 06:56:00 da tarde  

Enviar um comentário

<< Entrada