quinta-feira, outubro 26, 2006

O aborto e Deus criador



Eis um pequeno grande filme, com um conteúdo absolutamente irrepreensível, mesmo que não sufrague a doutrina religiosa da organização responsável pela sua realização.

JSarto

16 Comentários:

Anonymous Pedro Machado escreveu...

Só se esqueceram de mensionar que os mesmos que fizeram este fileme e o promovem, são os mesmos que elegem governos de terror que espalham a guerra pelo mundo a troco de petróleo.

Tenham mas é juízo! É tão óbvio que estamos perante uma falácia..... Ninguém defende o aborto!! Ninguém gosta de fazer abortos!! mas eles vão continuar a existir enquanto as condições de vida não forem boas para todos poderem criar os seus filhos e o planeamento familiar não for apreendido por todos! Não vale a pena iludirmo-nos! Trabalhemos mas é para o bem comum e talvez um dia não haja mais necessidade de se fazer abortos.

E que ninguém se iluda: o aborto em clinicas esterelizadas espanholas não dá prisão e é feito à escondidas por muita gente q vota não; o aborto em vãos de escada dá prisão e é feito às escondidas por muita gente q precisa do sim pra não morrer com infecções co-laterais!

Pedro Machado

10/26/2006 11:03:00 da manhã  
Blogger JSarto escreveu...

Pode provar o que afirma quer quanto aos autores do filme, quer quanto aos votantes do não abortarem em Espanha? Se sim, desafio-o que o faça aqui. Se não, melhor que estivesse calado.

Quanto ao resto da sua intervenção, repito o que escrevi mais abaixo:
"(...)

Porque o aborto acarreta sempre a eliminação de uma vida humana, não existe um aborto a apoiar - o legal - e um aborto a criticar - o clandestino; o aborto é sempre um acto intrinsecamente mau, independentemente das circunstâncias concretas em que seja praticado, e, portanto, deve ser liminarmente rejeitado;

(...)percebe-se qual o verdadeiro objectivo dos defensores do aborto a simples pedido: sob o pretexto da defesa das mulheres socialmente desfavorecidas, eles mais não pretendem do que impor uma medida legislativa que os ponha a salvo do seu comportamento profundamente leviano, promíscuo, debochado e, sobretudo, egoísta, comportamento típico de escravos dos seus próprios vícios, desresponsabilizando-os e desculpabilizando-os das consequências dos seus actos, mesmo que para tal tenham de recorrer a uma "ultima ratio" "anticonceptiva", ou seja, o homicídio de um ser humano inocente e indefeso.

10/26/2006 11:59:00 da manhã  
Blogger O Anarquista Duval escreveu...

Subscrevendo totalmente comentário anterior, venho só dizer que me estou bem borrifando para o que o criador da vida pense, pois o criador da vida foi, ele sim, criado por nós todos e só ainda falamos dele neste século porque há organizações fortíssimas com MUITO PODER e MUITO DINHEIRO,com milhões de cúmplices espalhados pelo mundo que não deixam a humanidade esquecer essas invenções do passado!

10/26/2006 12:01:00 da tarde  
Anonymous Pedro Machado escreveu...

Ao amigo jsarto,

1 - os autores do filme são americanos (a utilização da águia no início então, é comovente......), e portanto das 3 uma: ou votaram democrata e apoiaram as intervenções bélicas de Clinton, ou votaram Republicano e sustentam dessa forma a tristeza e loucura do actual governo americano (é melhor nem entrarmos por aqui...) ou não votaram, apoiamdo desta forma tanto uns como outros!

2 - é óbvio q eu não posso provar q houve já muitas pessoas q por um lado apoiam o não e por outro fazem abortos (nem os donos da clínicas sequer o podem fazer, pois não sabem a opinião sisncera de quem se socorre dos seus serviços), mas só um idiota é q não acredita q estes casos existem. Seria o mesmo, por exemplo, q não poder falar em corrupção só porq não há provas... ou alguém duvida q por cada pessoa q em portugal é condenada por corrupção há muitas mais corruptas... convenhamos q não são bandeiras q se abanem pra chamar a atenção!

ou está à espera q eu lhe peça para provar q eu não pretendo mais do que "impor uma medida legislativa que os ponha a salvo do seu comportamento profundamente leviano, promíscuo, debochado e, sobretudo, egoísta, comportamento típico de escravos dos seus próprios vícios, desresponsabilizando-os e desculpabilizando-os das consequências dos seus actos, mesmo que para tal tenham de recorrer a uma "ultima ratio" "anticonceptiva", ou seja, o homicídio de um ser humano inocente e indefeso"!

já percebeu bem a estupidez q disse?

10/26/2006 02:38:00 da tarde  
Blogger Camisa Azul escreveu...

Uma coisa é estar contra o imperialismo norte-americano outra coisa bem diferente é estar contra o povo. Parece que para si todos deviam ser fuzilados por votar erradamente. Um pensamento no melhor que o Estalinismo produziu.

10/26/2006 02:56:00 da tarde  
Blogger JSarto escreveu...

Caro Pedro Machado

1º) Em relação ao primeiro ponto, o seu raciocínio silogístico é simplesmente absurdo: eles são americanos, os partidos republicano e democrata são americanos, logo, eles votaram republicano ou democrata. Pois… Vejamos: a) ainda que assim o tivessem feito, isso não significaria que houvessem passado uma carta em branco a tais partidos para agirem discricionariamente no campo político internacional; b) nada me garante que os ditos autores hajam votado num partido ou num candidato paleo-libertário ou libertário - de que V. nunca ouviu falar porque tem a cabeça cheia de lugares comuns reducionistas - oposto em simultâneo ao imperialismo americano e ao aborto. Um exemplo? Pat Buchanan.

2º) Bom, a verdade é que efectivamente não me consegue demonstrar nada de concreto sobre tal acusação. Crerá, dando ouvidos a acusações de pessoas sem qualquer estofo moral para atirarem pedras a quem quer que seja (como um certo humorista televisivo bastante rasca), na caricatura grotesca e eivada de má fé de que os opositores ao aborto são todos fúteis tias de Cascais ou da Lapa . Pois, olhe que se engana rotundamente…

3º) Aqui, não lhe pedi que provasse nada, nem disse nenhuma estupidez: limitei-me a constatar as motivações profundas dos defensores do aborto a simples pedido, que eles tentam sempre contornar com a invocação das mulheres pobres e carenciadas (para as quais, de resto, se estão genericamente nas tintas).

10/26/2006 03:42:00 da tarde  
Anonymous Pedro Machado escreveu...

Mas acha mesmo que foi o povo que fez este filme?... enfim! Se está disposto a receber lições de vida de quem faz a guerra por questões económicas, é um problema seu.....

E olhe q quem falou em fuzilar foi você, nunca eu! Não me diga q afinal você é um estalinista encapuçado... eu não sou e tenho medo de quem é!!

Pedro Machado

10/26/2006 03:50:00 da tarde  
Anonymous Anónimo escreveu...

é lindo! é liiiindoooo! viva a blogosfera e à oportunidade de dialogar com tão interessantes criaturas. Só não sei o que é gosto mais: do puritano nacionalista ou do guardião da fé moralista...

10/26/2006 04:13:00 da tarde  
Anonymous Pedro Machado escreveu...

Amigo jsarto,

1 - O sr. pat buchanan, o exemplo que encontrou, foi senior advisor dos presidentes nixon, reagan e ford...

2 - não conheço fúteis tias de cascais ou da lapa, não percebo a q se refere... não me diga é q é inocente ao ponto de achar q estas pessoas (q já abortaram e votam não ao aborto) não existem.

3 - Acha que as motivações profundas dos que vão votar sim são "comportamento profundamente leviano, promíscuo, debochado e, sobretudo, egoísta"? e quem define o q é comportamento promíscuo, leviano, debochado, etc? parece-me q estas palavras têm sentido diferente para nós! vá, diga lá o q quer dizer com isso... não se está a referir de certeza às pessoas que têm sexo antes do casamento, não acredito que seja assim tão retrógrado...

Pedro Machado

10/26/2006 05:25:00 da tarde  
Blogger Irredutível escreveu...

É curioso que depois existem pessoas como o pedro machado que nos tentam a fazer mudar de opinião...

10/27/2006 01:09:00 da manhã  
Blogger JSarto escreveu...

Caro Pedro Machado

1º) O filme não foi de certeza feito pelo governo norte-amaericano, que em matéria de aborto até tem uma posição mais do que dúbia, e muito menos simpática em relação aos movimentos defensores da vida do que à primeira vista se possa pensar;

2º) Nenhum desses antigos Presidentes dos EUA tem a ver o que quer que seja com a actual situação no Iraque; Pat Buchanan é um político, na tradição da "old right wing" norte-americana isolacionista e anti-aborcionista;

3º) Enfim, a sua última intervenção trai-o: a sexualidade não é uma brincadeira de crianças, mas antes uma realidade para ser vivida de forma consciente e responsável, no âmbito de uma relação séria e estável entre dois parceiros de sexo diferente e como manifestação do amor existente entre os mesmos, sendo que o casamento é paradigma ideal de tal relação. E pela compreensão deste facto passa também em larga medida o combate ao aborto! Quanto ao mais que disse, passo.

10/27/2006 03:20:00 da manhã  
Anonymous pedro machado escreveu...

Amigo Jsarto,

1 - se voltar ao meu 1º comentário verá q eu não disse q era um filme do governo.

2 - nixon - o presidente da corrupção (watergate) teve a amabilidade de acabar com o sofrimento dos soldados americanos no vietname mas teve envolvimento directo noutras guerras, como a do camboja. ford - ilibou nixon. reagan - mais um caso famoso de corrupção através da venda de armas (ilegalmente) ao irão, teve o condão de perceber q era melhor acabar com a guerra fria e envolveu-se explicitamente nas guerras civis da nicarágua e el salvador, apoiando militarmente a oposição ao regime democraticamente eleito da nicarágua e o regime opressivo de el salvador.

3 - meu caro amigo, a minha última intervenção não me trai! Eu sou assim! A sexualidade é
alegria, partilha, brincadeira, satizfação, prazer!! o sexo é a coisa mais adorada por todos nós e a mais recalcada por uma parte de nós. ela é um verdadeiro hino à vida. deve-se ser responsável, sim! deve fazer-se planeamento familiar e usar-se preservativo quando não há certezas sobre a nossa saúde ou do(s) parceiro(s), mas ela deve ser practicada com liberdade pois faz bem à saude mental e física.

Mas a grande questão começa aqui. meu caro amigo Jsardo, eu respeito-o se quiser ter uma relação estável, com um parceiro de sexo diferente e dentro do casamento. Mas não me venha é impôr regras a todos os outros sobre como viver a sexualidade. Eu tenho sexo com quem quiser, quando quiser, na posição que quiser, fora ou dentro do casamento (esse papel q algumas pessoas teimam em assinar como se o amor precisasse dele para poder desabrochar) com pessoas do mesmo sexo ou do outro, assim haja vontade de ambos. VOCÊ FAÇA SEXO COM QUEM QUISER QUE EU NÃO TENHO NADA A VER COM ISSO. EU FAÇO SEXO COM QUEM QUISER E VOCÊ NÃO TEM NADA A VER COM ISSO!!! CHAMA-SE LIBERDADE!!!!!

e antes de começar a reverbar, meu caro amigo, fica a saber q eu tenho uma relação "estável", muito saudável, com uma pessoa do sexo oposto, há 8 anos e a quem nunca fui infiel (sexo incluído) e que nunca fez nenhum aborto!!

a isto tudo se chama liberdade!!...........

pedro machado

10/27/2006 11:12:00 da manhã  
Anonymous Anónimo escreveu...

este Pedro Machado é cá um cromo estalinista!
seu debochado! sexo é uma necessidade, não um prazer!!!

Rabo!!

10/27/2006 12:09:00 da tarde  
Blogger JSarto escreveu...

Caro Pedro Machado, estamos a desviar-nos do nosso assunto. Assim:

1º) Mau-grado as aventuras belicistas instigadas pelas sucessivas administrações norte-americanas, e que eu próprio noutras ocasiões tenho criticado por essa blogosfera fora, não é por esse motivo que um filme pró-vida, pelo simples facto de ter origem nos EUA e ser feito por americanos - que até não têm nada a ver com tais aventuras belicistas - perde automaticamente a credibilidade. Supor o contrário é cair, como se dizia noutros tempos e a propósito de outras realidades, num anti-americanismo primário;

2º) Não verberei minimamente o seu comportamento sexual, nem o acusei de alguma vez ter instigado a feitura de abortos; limitei-me a dar a minha visão de como a sexualidade deve ser encarada e vivida. Assim, quem parece estar com problemas de entendimento é V., que, de resto, não tinha necessidade nenhuma de vir para aqui revelar o que faz ou deixa de fazer na sua vida sexual, desde que o faça livremente e com terceiros livres. Esse é um problema seu e só seu para o qual me estou a borrifar literalmente. Agora, tendo sempre em mente o que disse até agora, não me impeça de fazer mais três observações:

a) Torna-se óbvio que confunde liberdade, que consiste em fazer-se escolhas no uso de uma consciência recta e ordenada ao bem, com abuso de liberdade, isto é, agir a bel-prazer e discricionariamente sem outras considerações mais;

b) Se o casamento é efectivamente um simples “papel”, que custa assinar essa “porcaria”? Será mesmo assim?

c) Enfim, não me parece que a tal liberdade sexual que propugna seja efectivamente benéfica para a saúde. Ou por que será então que alas inteiras de hospitais, clínicas, sanatórios e casa de saúde estão cheias dos praticantes dessa liberdade…

10/27/2006 05:49:00 da tarde  
Anonymous Anónimo escreveu...

O anarquista duval e o maior...o resto e conversa...

10/27/2006 06:54:00 da tarde  
Anonymous pedro machado escreveu...

Amigo Jsarto,

1 - Isto é simples! eu não compro morais de quem não a tem! você faça como quiser, mas fica-lhe mal vende-las assim!

2 - Relembro-lhe as suas palavras: "comportamento profundamente leviano, promíscuo, debochado". E as seguintes: "Não verberei minimamente o seu comportamento sexual"! Não lhe parece um bocado paradoxal?

3 a) Claro q ajo a bel-prazer, desde q não incomode 3ºs! todos nós gostamos de prazer! você também! não sei é porq é q esconde isso... liberte-se dessas amarras, amigo! olhe lá prá frente olha pra trás e arrependede-se de ser tarde.......

b) eu não faço coisas porq são fáceis, faço-as porq fazem sentido! assine-o você se pra você faz sentido, não tenho nada a ver com isso. uma vez mais, não se meta é com as minhas opções...

c) porq há pessoas q dirigem mal a sua energia! como o nosso sistema político em geral e o amigo Jsarto em particular! se em vez de estar práqui a tentar arruinar a vida de mulheres q fizeram opções erradas ou estavam mal informadas, ajudasse a informar a população dois perigos da sexualidade, esses números seriam menores. Mas não é dizer "seu debochado, reprime a tua sexualidade" (lá se vai a liberdade....), é dizer "quando o fizeres aprecia-o, mas não o faças sem tomares precauções: conhece a tua saúde clínica, a do teu parceiro e usa preservativo"!

Pedro Machado

ps. já agora aproveite, tire daqui alguns ensinamentos e dê uma alegria á sua companheira!!...

10/30/2006 11:06:00 da manhã  

Enviar um comentário

<< Entrada