quarta-feira, outubro 25, 2006

Grandes cartazes (2)


(Acessibilidade: "Give them a chance. A child is not a choice.")

9 Comentários:

Anonymous Gail escreveu...

lol mto bonito mas estas imagens e textos nao me comovem

sou claramente a favor do aborto e nao sou esquerdista ou comunista, sou nacionalista identitario.

prefiro matar um filho meu de dias ou meses ou anos que seja deficiente do que matar um cao ou outro animal mamifero. Alias penso que nem conseguia matar animais mamiferos.

Por vezes até me custa ver matar animais, vacas e outros pois sei que sofrem, tem cerebro.
Ja o bebe considero que nao sofre nada se o matarmos dentro da barriga e mesmo apos nascer da barriga da mae.
Acho que sofre muito mais um animal como uma vaca do que um bebe com 1 dia de vida apos nascimento.

Desculpem mas é esta a minha opiniao.
Penso que é um disparate defender o aborto. Só mesmo num pais atrasado como Portugal.
Conheço varios nacionalistas pela Europa e defendem o aborto. Só aqui é que os nacionalistas sao todos contra o aborto!! Enfim mais uma vez a merda da influencia do cristianismo a falar mais alto.


Ja agora quem beneficia com o pro aborto sao os brancos, pois quem tem filhos aos milhares sao os pretos e com o aborto decerto muitas negras iriam abortar e deixariamos de ver tantos cagalhotos pela rua.

10/25/2006 03:06:00 da manhã  
Anonymous Terminal escreveu...

Ó imbecil, as pretas não abortam assevero-te eu. Olha para França ou para Inglaterra, vê o que por lá se passa antes de vires para aqui debitares inanidades.

10/25/2006 03:53:00 da manhã  
Blogger Camisa Azul escreveu...

Nacionalista! Eu penso que devia era ir a um psiquiatra.
É por causa de “nacionalistas” como este que o movimento tem dificuldade em avançar.

10/25/2006 06:22:00 da manhã  
Anonymous Anónimo escreveu...

Em defesa do óvulos perdidos.
Em defesa do eperma desperdiçado.

10/25/2006 10:32:00 da manhã  
Blogger Ana A. escreveu...

Calculo que o "anónimo" tenha sido mais uma das vítimas do nosso "organizado" sistema de ensino, pois não sabe que óvulos e espermatozóides são células reprodutoras apenas, mas cuja junção dá origem a uma entidade única, irrepetível e diferente dos seus progenitores, que encerra em si todas as características de um ser humano. É, portanto o início de um desenvolvimento permanente, em diversas fases, e que culmina com a morte natural.
A única coisa é que ainda não se vê. Como diz o povo, "longe da vista, longe do coração"...um candidato perfeito a execução sem culpas, assim...sem apelo, nem agravo...

10/25/2006 11:24:00 da manhã  
Blogger Vera escreveu...

Gail, se anestesiares a vaca ela tb não sente dor... Se matares alguém que está em coma, não deixa de ser homicídio.
Não tem nd a ver com valores cristãos, eu sou completamente agnóstica, completamente...e nem acho muita piada a essa religião em particular...A mim parece-me é que tens mt desprezo pela vida, mas na tua vida mandas tu...já na dos outros, incluindo na de um filho, não tens qualquer legitimidade para o decidir....
Chamam-se valores morais..coisa que parece andar fraca aí por esses lados. Ser nacionalista não implica ser defensor do aborto, e esta causa não atrapalha em nada o desenvolvimento do nacionalismo, aliás, acho que a cultura de morte até vai contra os valores europeus...

10/25/2006 03:47:00 da tarde  
Blogger Vanguardista escreveu...

Matar uma vaca não pode ser porque "sofre" e "tem cerebro". Matar um bébé, mesmo que tenha alguns "dias ou meses" já pode ser... o(a) gail deve ter descoberto que os bebes não têm cerebros e não sofrem, é a única explicação. E já agora, oh anormal, se alguém te matar a ti, durante o sono, por ex., também não faz mal, pois não? Desde que "não sofras".

10/25/2006 04:58:00 da tarde  
Blogger Ana A. escreveu...

Portanto, segundo o Gail a vida está indexada ao factor deficiência. Se houver uma, zás!, guilhotina!
Lembra-me de não te dizer que toda a minha família é deficiente (pais, mãe e único irmão), senão...

10/25/2006 05:28:00 da tarde  
Blogger Vera escreveu...

"MAtar um filho meu de dias, meses ou anos..."
Mas tu tens filhos...? Tens noção da barbaridade que estás a dizer?
DE infantilidade não te posso acusar porque nem uma criança de 3 anos conseguem sonhar com uma coisa dessas...E tb não podes ser "desculpado" se por acaso não souberes o que é ter um filho.. Porque eu tenho 17 anos, tb não sei o que é...mas consigo topar a léguas que anda aí um grave problema moral.
É tudo material para ti..? Para que serve a consciência/racionalidade?

10/25/2006 05:53:00 da tarde  

Enviar um comentário

<< Entrada