quarta-feira, outubro 25, 2006

MP recusou suspender processos-crime a casos de aborto

36 Comentários:

Anonymous Anónimo escreveu...

Isso era uma tecnica bastante utilizada pelos regimes fascistas, nos processos eleitorais por exemplo...ha..mas porque e que eu estou a dizer isto, voce deve saber isso melhor que eu...

10/25/2006 02:01:00 da tarde  
Anonymous Anónimo escreveu...

Ja agora explique-me, (vou perguntar novamente) como se enquadra esse fervor pela vida no nacional-socialismo vulgo nazismo?

10/25/2006 02:05:00 da tarde  
Blogger Camisa Azul escreveu...

Aqui estão duas perguntas que ficam sem resposta. Como não professo nenhuma das correntes politicas que menciona pelo que não posso ajudá-lo.

10/25/2006 02:32:00 da tarde  
Anonymous adolfo hilário escreveu...

Continuem o bom trabalho, rapazes!

10/25/2006 02:44:00 da tarde  
Blogger Ana A. escreveu...

Falam tanto do nazismo e do Hitler que me quer cá parecer que o amam de paixão, bolas!

10/25/2006 02:51:00 da tarde  
Anonymous Anónimo escreveu...

Vitor Ramalho website
Pois tem razao...erro o meu. Nao e nacional-socialista e nacional-revolucionario socializante, estou correcto?

Lamento o lapso.

10/25/2006 02:55:00 da tarde  
Anonymous Anónimo escreveu...

Os cães estão enraivecidos! Ainda bem! É sinal de que aqui está a ser feito um bom trabalho que os atinge onde mais lhes dói!

10/25/2006 03:27:00 da tarde  
Blogger Vera escreveu...

Insultam, insultam mas o que é certo é que são esses "fascistas", "nazis" etc etc que aqui estão a defender a vida e direitos humanos. Ao contrário do que vocês mt pregam mas não passa de fachada.

10/25/2006 03:42:00 da tarde  
Blogger Ana A. escreveu...

Recordo que a Alemanha Nazi praticou o aborto de forma livre, a bem da raça...

10/25/2006 03:47:00 da tarde  
Anonymous Anónimo escreveu...

"a defender a vida e direitos humanos"

Pois estao, os maiores defensores da vida e dos direitos humanos foram o Hitler o Salazar, e tambem o Staline esse paladino da vida e dos direitos humanos tb era anti-aborto.

10/25/2006 03:48:00 da tarde  
Anonymous Anónimo escreveu...

ai sim Ana...

"Propaganda and punishment was directed against he use of contraception, homosexuality, women whose main purpose in life wasn't child bearing and motherhood, and men who did not prove their manhood by fathering children. The Nazi state imposed tax penalties for remaining single, offered loans to young married couples and subsidies for childbearing, prohibited prostitution and homosexuality, contraception, and abortion. Abortion by Aryan women was punishable by imprisionement at hard labor."

aqui

10/25/2006 03:53:00 da tarde  
Blogger Ana A. escreveu...

Uma diferença entre os anti-aborto e os que se dizem "contra o aborto" (mesmo que defendam que isso é apenas uma questão de consciência...), é que os primeiros estão lá quando as mulheres precisam, ou seja, na altura de tomar decisões difíceis, ou na altura traumática do pós-aborto (legal ou não) - ironicamente, a associações de apoio à família e à criança NÃO têm grandes apoios estatais - ao passo que os segundos apenas usam a desgraça da mulher para proveitos próprios.
Daí que não lhes interesse acabar com as razões que levam ao aborto. Descartam o dever de lhes prestar auxílio quando é realmente necessário, dizendo que o aborto é um assunto que apenas diz respeito à mulher e ao seu íntimo.
Acabar com a desgraça do aborto seria acabar com um filão de proveitos políticos e até económicos - é mais barato suportar o aborto a pedido, que aumentar abonos de família, por exemplo.
Quando não se quer, ou não se sabe como lidar com um problema, legaliza-se e pronto! Quem é contra, ou é nazi, ou é hipócrita ou é rato de sacristia ou é outra coisa qualquer menos uma pessoa com nome próprio e convicções tão válidas quanto as vossas.

10/25/2006 04:08:00 da tarde  
Blogger Ana A. escreveu...

Esquece-se de dizer que a Alemanha Nazi praticou o aborto nos estados que invadiu, a bem da raça pura ariana.
Hitler condenou o aborto, sim, nas mulheres arianas, não nas nativas de outros países que invadiu!

10/25/2006 04:18:00 da tarde  
Blogger Vera escreveu...

"Acabar com a desgraça do aborto seria acabar com um filão de proveitos políticos e até económicos - é mais barato suportar o aborto a pedido, que aumentar abonos de família, por exemplo."

Aí está uma coisa que tenho dito em várias discussões. Legalizar o aborto é sp mais fácil e mais barato, menos trabalhoso.... Mas não é o melhor. O melhor geralmente é o que dá mais trabalho mas que tem resultados verdadeiramente humanos.
Somos seres racionais..logo, temos inteligência que supostamente deve ser utilizada para o melhor, para o que está certo, e não para ficar pelo comodismo do mais fácil e menos eficaz e moral.


Já agr, para esclarecer uma coisa: ser nacionalista não implica adorar hitler (uma vez que até era estrangeiro e se pudesse tinha era invadido e massacrado portugal) nem adorador de Salazar, uma vez que se pode, e deve, ser nacionalista e defender a democracia e liberdade, logo é impossível idolatrar ditadores, quer à esquerda quer à direita.

10/25/2006 04:37:00 da tarde  
Blogger Vera escreveu...

Na Alemanha Oriental as atletas engravidavam e nas vésperas das competições abortavam, porque a gravidez aumentava a resistência física, e assim obtiam melhores resultados.

10/25/2006 04:38:00 da tarde  
Anonymous Anónimo escreveu...

"ser nacionalista não implica adorar hitler (uma vez que até era estrangeiro e se pudesse tinha era invadido e massacrado portugal) nem adorador de Salazar, uma vez que se pode, e deve, ser nacionalista e defender a democracia e liberdade, logo é impossível idolatrar ditadores, quer à esquerda quer à direita."

Ai sim...e curioso...aconselho um exercicio...comeca a navegar nos perfis de alguns escritores (por exemplo:Irredutivel, Vitor Ramalgo) deste blog, e vais reparar que depois de 4-5 links (se quiserem eu deixo um exemplo, se entretanto os proprios nao se acobardarem a desataream a apagar links) te encontras em perolas como estas:
nacional socialismo em rede
fascismo em rede
estado novo

E estranho nao e...e esquisito para quem e tao fervoroso pela "causa democratica".

10/26/2006 06:44:00 da manhã  
Blogger Ana A. escreveu...

Ó anónimo, afinal, qual é a tua real posição no tema do referendo ao aborto?

10/26/2006 09:49:00 da manhã  
Anonymous Anónimo escreveu...

A minha real posicao e CONTRA A HIPOCRISIA.

Contra aqueles que defedem o nao, mas quando a altura aperta correm a Espanha* porque podem, contra aqueles que impossibilitam o recurso a essa solucao apenas porque esse alguem nao tem recursos financeiros e sentencionando-o a um qualquer vao de escada e quem sabe a um processo criminal.

Assim como o Nao nao vai parar alguem de fazer um aborto, o sim nao vai levar ninguem a fazer um aborto que nao queira.

E esta a minha posicao.

*-depois voltam para o seu poleiro e bradam a alta voz "contra o aborto". Porque quando as coisas acontecem (porque acontecem, chamam-se acidentes) e ha um curso para acabar, uma juventude para viver toda a ideologia vai por agua abaixo.

10/26/2006 10:58:00 da manhã  
Anonymous Anónimo escreveu...

Mais, todos estes comentarios acerca da filiacao politica dos afitrioes deste blog deve-se ao facto da hipocrisia demonstrada pelos mesmos.

Esses sao os mesmo que vagueavam pelo bairro alto ha uns anos a matarem pretos, sao os mesmos que defedem a vida mas sao simpatizantes de regimes que implementaram solucoes finais, tortura, censura, perseguicao, desrespeito de direitos humanos e a lista continua.

Sao os mesmos que nutrem uma cultura de odio mas depois vestem a pele de cordeirinhos e bradam pela vida...

10/26/2006 11:04:00 da manhã  
Blogger Ana A. escreveu...

Tem piada. Sou pelo "não", já me vi numa situação de aperto e nunca fui a Espanha (mas que diabo terá a Espanha, se outros países tb têm clínicas IVG??? Mistério...), nem a lado nenhum.
Isto, concerteza, faz de mim uma hipócrita, sem poder defender as minhas convicções pessoais...Ou, por outra, faz de mim uma escrava do pensamento burguês de mãezinha de ranhositos piolhentos aos berros, ou de uma fraquita que se deixa escravizar pela prepotência de um gajo que quer ser pai...
Já os do lado do "sim" têm um ódio de estimação pela Igreja Católica e tudo o que esta defende. Bora lá, então, contrariar esta padralhada...porque sim!
Ah, tb estão do lado do "sim" umas senhoras (!!) de quem se diz que têm uma adoração por queimar sutiãs e de desprezar tudo o que venha do macho (a não ser, claro está, que ele a sirva para momentos de prazer). Daí, a posição de se libertarem das garras do demo, o homem, esse ser execrável que quer fazer delas incubadoras do seu esperma!!
Portanto, tudo gente insuspeita na defesa (!) dos direitos das mulheres. Mas só das que já abortaram. As que podem, neste preciso momento, estar prestes a fazê-lo, e que precisam de ajuda...nicles batatóides, não existem! Ou, melhor, estão a tomar a decisão intimamente, logo ninguém tem nada a ver com isso...

10/26/2006 11:57:00 da manhã  
Anonymous Anónimo escreveu...

Ana,

Dou-lhe os meus sinceros parabens por se ter encontrado numa situacao de aperto e no entanto nao ter recorrido ao aborto. Mostra que e uma pessoa com forca e de conviccoes. Agora cada caso e um caso. Agora trazer uma crianca ao mundo sem ter condicoes proprias para a sustentar ou proporcinar uma educacao decente, nao concordo.

Relembro que so faz um aborto quem quer, neste momento pessoas que acreditam como voce impoeem a vossa ideologia a outras pessoas, quem sao voces? Guardioes da moral? representantes de Deus na terra? o proprio Deus todo poderoso? quem vos da o direito de imporem a vossa moral aos outros? de dizerem o que certo ou errado? quem, vos deu essa autoridade?

Eu e a "passarada da morte" nao impomos nada a ninguem, simplemente apregoamos que cada um e livre segundo a sua consciencia de tomar as suas decisoes.

Penso que a liberdade de cada um acaba quando infringe a do outro...

Uma palavra em relacao a "padralhada" como lhe chama, nao tenho nenhum odio em relacao a igreja, mas como atento observador e pessoa curiosa sei a tamanha hipocrisia que reina por esses circulos, e nao e de agora e desde sempre...quer que de alguns exemplos? Contracepcao (que por isso condena a morte milhoes de pessoes em todo o mundo), tentativas de encobrimento de casos de pedofilia (em altas esferas, nao so do padre da paroquia), manobras fincanceiras pouco legitimas...para nao ir mais longe na historia como inquisicao, etc.

10/26/2006 02:05:00 da tarde  
Anonymous Anónimo escreveu...

"(mas que diabo terá a Espanha, se outros países tb têm clínicas IVG??? Mistério...)"

Misterio? abra um mapa, veja onde se encontra Portugal, agora veja onde esta a Espanha.

Ele ha misterios que sao faceis de resolver...

10/26/2006 02:13:00 da tarde  
Blogger Ana A. escreveu...

Acreditamos que a vida surge na concepção.
E que a liberdade de cada um não pode, de forma alguma, dar direito a sobrepor-se à vida.
A liberdade individual tem o seu domínio no precaver-se, se não quer uma gravidez. E não estou só a falar em contraceptivos. Estou a falar em toda uma formação da pessoa, na maneira como lida com o sexo, etc.
Ninguém aqui é guardião de nada, excepto da vida que nos responsabilizamos por gerar e trazer ao mundo.
Há muitas mulheres que, de facto, não têm condições para ter um filho, mas também ninguém lhes dá alternativa para isso. O aborto, assim, aparece como uma solução tentadora, a única aparentemente possível.
Ignorar as razões que levam ao aborto é compactuar com ele, é encorajá-lo. É levar as mulheres a um sofrimento e a uma violência ímpares, ainda que feito em estabelecimentos legalizados para o efeito.
Não quer que lhe imponhamos a "nossa" moral. Mas, decerto, também não quererá que as Leis que nos regulam - e que, por isso, não devem obedecer a caprichos de quem quer faz, quem não quer não faz - obedeçam à mais completa falta de moral, seja a "nossa", seja a "vossa".
A Lei condena o acto. Isso quer dizer que o aborto é visto, objectivamente, como um mal e não um bem.
Alterar-se a Lei para o aborto a pedido é pôr na vontade da mulher a legislação sobre quem deve morrer, e quem deve viver. Se isso não é fazer-se passar por Deus, não sei...
Da mesma forma, impôr datas para início da vida quando é conveniente é, também, ser guardião da ciência, transformando uma possível incerteza num dogma apenas para atingir os fins das vossas crenças. Também é fazer-se passar por Deus...
Para quem se diz atento observador saberá que o que leva à morte de milhares de pessoas em todo o mundo não será a condenação dos preservativos, mas precisamente a mentalidade que tem potenciado o uso dos mesmos: faz o que te dá na realíssima gana, que este pedacinho de latéx protege-te de tudo...até ao dia em que romper, ou em que tu te esqueceres...GAME OVER!

10/26/2006 02:44:00 da tarde  
Blogger Vera escreveu...

"A minha real posicao e CONTRA A HIPOCRISIA"

Outro que não deve defender os direitos humanos...

"*-depois voltam para o seu poleiro e bradam a alta voz "contra o aborto". Porque quando as coisas acontecem (porque acontecem, chamam-se acidentes) e ha um curso para acabar, uma juventude para viver toda a ideologia vai por agua abaixo. "

Achas correcto esse egoísmo?

Agora trazer uma crianca ao mundo sem ter condicoes proprias para a sustentar ou proporcinar uma educacao decente, nao concordo."

E porque é que a solução tem que ser abortar? Porque é o mais "simples" e rápido?

"quem vos da o direito de imporem a vossa moral aos outros?"

Quem te dá o direito de escolher sobre a vida dos outros?

Bom, mas se não temos o direito de impôr valores morais, então porque é que criminalizamos o homicídio ou qq outra prática que lese outras pessoas? Não é por causa de valores morais que impomos?

"

10/26/2006 03:09:00 da tarde  
Anonymous Anónimo escreveu...

"Ninguém aqui é guardião de nada, excepto da vida que nos responsabilizamos por gerar e trazer ao mundo."

Nao errado...voces querem ser guardiaes da vida dos outros tambem, voce quer se responsabilizar por voce ok...nao preciso que se responsabilize por mim, voce nao me conhece, nao sabe o que ja passei nao me venha dizer o que e bom ou o que e mau.

"Não quer que lhe imponhamos a "nossa" moral. Mas, decerto, também não quererá que as Leis que nos regulam - e que, por isso, não devem obedecer a caprichos de quem quer faz, quem não quer não faz - obedeçam à mais completa falta de moral, seja a "nossa", seja a "vossa".

Mais uma vez quem e voce para fazer julgamentos de moral em nome de um colectivo de pessoas? e uma iluminada? sabe mais que os outros?

"Da mesma forma, impôr datas para início da vida quando é conveniente é, também, ser guardião da ciência, transformando uma possível incerteza num dogma apenas para atingir os fins das vossas crenças"

A ciencia nao se compadece com dogmas, observa-se mede-se, lidam-se com tolerancias, nao existe umn sistema perfeito, nao existe a verdade absoluta. Existe sim manipulacao de informacao para gerar propaganda, tanto do lado do sim como do lado do nao.

"Para quem se diz atento observador saberá que o que leva à morte de milhares de pessoas em todo o mundo não será a condenação dos preservativos, mas precisamente a mentalidade que tem potenciado o uso dos mesmos: faz o que te dá na realíssima gana, que este pedacinho de latéx protege-te de tudo...até ao dia em que romper, ou em que tu te esqueceres...GAME OVER!"

Nao acredito que pense isso , "a mentalidade que potencia o uso dos mesmos", voce pensa mesmo isso? E diz-se defensora da vida...milhoes, sim eu disse MILHOES estao a morrer em Africa devido a HIV e voce fala-me em "mentalidade que potencia o uso dos mesmos"...agora vai dizer aquela gente que tem as relacoes sexuais incutidas nas suas raizes culturais que nao devem cometer sexo com varios parceiros ou que se devem abster de sexo...voce deve estar a brincar.

Seja coerente.

10/26/2006 03:20:00 da tarde  
Anonymous Anónimo escreveu...

"Achas correcto esse egoísmo?"

De que egoismo fala?

"E porque é que a solução tem que ser abortar? Porque é o mais "simples" e rápido?"

Nunca disse que e a mais simples nem rapida solucao, apenas por vezes e a unica.

"Bom, mas se não temos o direito de impôr valores morais, então porque é que criminalizamos o homicídio ou qq outra prática que lese outras pessoas? Não é por causa de valores morais que impomos?"

Onde e como e que o aborto de outra pessoa lhe lesa a si?

10/26/2006 03:25:00 da tarde  
Blogger Camisa Azul escreveu...

E onde é que o assassinato de outra pessoa lhe interessa a si?
E o roubo, e a violação etc.…

10/26/2006 03:31:00 da tarde  
Blogger Ana A. escreveu...

Única solução?
Será a única solução para quem não tem pejo em fazer um, dois, três...assim, na desportiva, de ânimo mais leve que uma pena.
O pior vem depois. Informem-se e informem bem sobre as consequências lindas do aborto, a curto, médio e longo prazo. Mas informem na íntegra, não é só aquilo que convém...

O aborto de outra pessoa lesa-me, sim. Lesa-me na consciência de que eu deveria ter feito mais por aquela mulher e pelo seu bebé, e não fui capaz de ir mais além que o meu próprio umbigo. Lesa-me, porque, indirectamente, pela minha indiferença, levei alguém a morrer e outro alguém a passar por um processo traumático. Lesa-me, sim, porque se eu estivesse nas mesmas condições que a mulher que abortou, também ninguém se lembraria de mim.
Precisamente porque o aborto é fruto do egoísmo: o de todos os que querem sacudir a água do capote em estar lá pelo seu semelhante.

10/26/2006 03:39:00 da tarde  
Blogger Ana A. escreveu...

Da mesma forma, o assassinato de outras pessoas, afinal, tb não me lesa - na sua teoria.
No entanto, o homicídio é universalmente condenado, e, no entanto, continua a ser praticado na sua totalidade em condições clandestinas...querem ver que também vai ser despenalizado????
O problema, é que um feto não se vê, não se ouve, não fala...logo, para muitos pensantes, é comparável a uma mosca - esta da mosca foi outra pérola que ouvi, certa vez, na rua...
Se eu não me indigno face ao aborto, terei moralidade para me indignar com outra coisa qualquer?

10/26/2006 03:49:00 da tarde  
Blogger Vera escreveu...

"De que egoismo fala?"

Do egoísmo de abortar só porque não convém à pessoa naquela altura,~que põe as suas vontades à frente de uma vida.


"Nunca disse que e a mais simples nem rapida solucao, apenas por vezes e a unica."

Não, no caso a que me referi, falta de condições económicas, ajudas financeiras por parte do Estado, por exemplo, podem fazer a diferença. Mas também sai mais barato ao Estado fazer aborto em hospitais do que pagar subsídios e elaborar planos durante anos.

"Onde e como e que o aborto de outra pessoa lhe lesa a si? "

Não disse que me lesava a mim. Disse que lesava outros seres, neste caso a vida do feto que deixa de existir. "Lesa" o direito à vida...que é das piores coisas que se pode fazer.

10/26/2006 04:48:00 da tarde  
Blogger Vera escreveu...

"esta da mosca foi outra pérola que ouvi, certa vez, na rua... "

Pois..eu já ouvi dizer que era um "amontoado de células" e que não era vida...

10/26/2006 04:50:00 da tarde  
Anonymous Anónimo escreveu...

"E onde é que o assassinato de outra pessoa lhe interessa a si?
E o roubo, e a violação etc.…"

Interessa-me se for eu o alvo de assassinio, dessa violacao ou desse roubo, agora diga-me como sou eu afectado por qualquer aborto a nao ser eu a faze-lo?

"O aborto de outra pessoa lesa-me, sim. Lesa-me na consciência de que eu deveria ter feito mais por aquela mulher e pelo seu bebé, e não fui capaz de ir mais além que o meu próprio umbigo."

Tanta vontade..., diga-me quantas pessoas ja ajudou nessa situacao e defina-me um plano de accao em caso de necessitar de ajudar alguem...de boas intencoes esta o mundo cheio minha menina....na verdade e muita parra e poucas uvas.

"Precisamente porque o aborto é fruto do egoísmo: o de todos os que querem sacudir a água do capote em estar lá pelo seu semelhante."

Acha que qualquer pessoa dotada de inteligencia nao tenta ajudar o seu semelhante (falo aqui de qualquer pessoa, imigrante, preto, etc), acha que existe alguem a incentivar ao aborto? Estilo, epa aborta que e o melhor que tens a fazer, nunca e o melhor e SEMPRE O PIOR. O aborto so se faz (ou so se deve fazer)em ULTIMA ALTERNATIVA so em caso de nao haver solucao.

10/26/2006 05:03:00 da tarde  
Blogger Ana A. escreveu...

Pormos a nossa responsabilidade total num preservativo falível parece-me um bocado idiota.
A defesa da nossa vida e da dos outros começa na nossa cabecinha, na maneira como lidamos com as coisas. O preservativo só a complementa.
Já agora: não é você que acha que as mentalidades deveriam evoluir? Bom, então também posso dizer que se a mentalidade africana do ter sexo com muitos parceiros os pode estar a matar - basta um esquecer-se do preservativo, ou o preservativo romper para que haja infecções que não só pelo SIDA -, então, também deveria ser trabalhada de forma a que não dependessem de um preservativo para sobreviver. Mas não! Já que alguém aqui falou em escravatura, é melhor sermos escravos da mentalidade do "remendar situações que não queremos mudar porque dá trabalho", que sermos pessoas realmente livres.
Não tenho nada contra o uso do preservativo, mas há que usá-lo com cabecinha e responsabilidade. Essa do fazer o que se quer e mais nada, traz graves consequências.
Estão aí, mas toda a gente acha que a culpa é dos moralistas que não deixam isto andar para a frente.
Quando não queremos admitir que batemos com a cabeça nas paredes, vamos pondo pensos rápidos para as feridas estancarem. Mas continuamos a bater com a cabeça nas paredes...até os pensos rápidos se acabarem. Depois, quando acabarem...como vai ser? Pois...


Sei que os meus comentários causam escândalo a quem se mostra agora uma virgem(?) ofendida, mas que defende, sem escrúpulo, o aborto livre.
Temos pena.
Depois, os outros é que são incoerentes.

10/26/2006 05:07:00 da tarde  
Blogger Ana A. escreveu...

Há sempre solução...quando se quer encontrá-la. Quando não se quer, não se encontra.
É a velha história: quando se quer, arranjam-se maneiras, quando não, arranjam-se desculpas...
Sim, já ajudei raparigas a não abortar. Basta dar-lhes aquilo que a sociedade cinicamente lhes nega: atenção e acompanhamento, e, sobretudo, interesse no bebé que elas trazem dentro delas. Foram poucas, mas as que soube nestas condições, ajudei-as e acompanhei-as. Não é preciso a fanfarronice de planos de acção. Basta estar presente, conversar, acompanhar, interessar-se pela pessoa. Essa pirosice que dá pelo nome de amizade...
Não é preciso ser-se psicólogo, é preciso ser-se humano. E isso, qualquer um pode ser...se quiser.
Porque o individualismo do "que tens tu a ver com aquilo que eu faço?" empurra muito boa gente para o desespero e para a solidão. Até porque toda a gente gosta e quer que os outros se interessem por si.


Se acho que alguém incentiva ao aborto? Tenho a certeza: basta dizerem a uma mulher que o feto é uma coisa irrelevante, que não pode atrapalhar-lhe os sonhos, que não pode barrar-lhe a liberdade...
Já é meio caminho andado para que uma mulher veja, então, o aborto como solução aparentemente única.
Não é aquilo que se diz à grávida, é aquilo que se passa como mensagem...e nisso, os meus aplausos aos senhores que apoiam a senda da despenalização. Têm sido incansáveis em tentar calar as consciências das mais fragilizadas.

10/26/2006 05:25:00 da tarde  
Blogger Irredutível escreveu...

Quanto ao tópico em si, seria ilegal tal norma, já que segundo o principio da legalidade em processo penal, o MP não pode sugeitar-se a factores externos à lei para deduzir uma acusção, mas existe sempre a lei quadro da politica criminal (para mim completamente ilegal) onde o governo pode dar indicações ao MP sobre que tipos de crime deve incidir mais a investigação...

10/27/2006 01:00:00 da manhã  
Anonymous Anónimo escreveu...

"Sei que os meus comentários causam escândalo a quem se mostra agora uma virgem(?) ofendida,"

Nao deve ser comigo..ou entao nao alcanco o que quer dizer com isso...

"ão é preciso a fanfarronice de planos de acção. Basta estar presente, conversar, acompanhar, interessar-se pela pessoa"

Admiro a sua omnipresenca de conseguir estar em todo lado a todo o momento...

"Se acho que alguém incentiva ao aborto? Tenho a certeza:"
Ai tem? quantas vezes o fez ou quantas vezes o viu fazer? ja fez algum aborto? conhece alguem que o fez?

E so conversa e boas intencoes propria de moralistas...

10/27/2006 09:39:00 da manhã  

Enviar um comentário

<< Entrada