sexta-feira, outubro 27, 2006

As Imagens

Quando se fala em aborto, lá vêm à baila as imagens brutais de fetos abortados. E lá vêm as críticas à utilização dessas imagens. São imagens brutais e chocantes, é verdade. Mas são reais. Tão reais como as de prisioneiros de Auschwitz, de cativos em Abu-Grahib, de chacinados do Ruanda, de refugiados no Darfur. São imagens que demonstram o grau de crueldade a que um ser humano consegue chegar. Tal como no caso do aborto, não é por evitarmos vê-las que as imagens desaparecem ou se tornam menos reais.

8 Comentários:

Anonymous Anónimo escreveu...

Muito bem! boa clareza de raciocínio! Parabéns

10/27/2006 03:29:00 da tarde  
Anonymous Anónimo escreveu...

gostei particularmente da referencia aos prisioneiros de Auschwitz.

10/27/2006 05:52:00 da tarde  
Anonymous Pároco Martins escreveu...

Isso mesmo: chamar os bois pelos nomes! Está mais que na altura de as pessoas compreenderem que aquilo que se passa nos hospitais da nação é igual ao que se passou em Auschwitz ou no Ruanda. Eu diria até que é mais grave. Porque apesar de terem essas modernices como "sistema nervoso central" e "córtex cerebral ligado ao tálamo", toda a gente sabe que os 6 milhões de judeus e os 800 mil Tutsis que foram exterminados eram um bocadinho menos seres humanos do que qualquer feto com 10 semanas.
E trazer essas nódoas na história da Humanidade a esta discussão não é nada despropositado.
É até o sinal de um intelecto e sensibilidade superiores.

10/27/2006 07:34:00 da tarde  
Anonymous Anónimo escreveu...

prisoneiros de Auschwitz? mas isso não era tudo uma grande treta inventada pelos vencedores da história? não há provas de que tenha realmente acontecido.
Ao contrário, eu estava ao lado do Miguelito na manifestação pelas vítimas do Darfur e, já lá vai algum tempo mas creio que também nos devemos ter cruzado na vígila em frente à embaixada de França pelo Ruanda. Foi bonito... e na altura, Lisboa estava mais limpinha, com menos estrangeirada

10/27/2006 08:46:00 da tarde  
Blogger Pedro Almeida escreveu...

Pároco Martins és demais.
A sério, gosto muito da tua maneira de escrever.
Sozinho dás conta destes seres "inteligentes" todos.
Porque não abres um blog teu ?

10/27/2006 09:52:00 da tarde  
Anonymous Anónimo escreveu...

"Prisoneiros de Auschwitz? mas isso não era tudo uma grande treta inventada pelos vencedores da história? não há provas de que tenha realmente acontecido."

Ai estao os valentes lutadores pela vida, precupados com um feto de 10 semanas, mas negando o genocidio de milhoes...uma treta meu caozinho fardado...uma treta e o que tens entre as orelhas...

10/28/2006 02:13:00 da manhã  
Anonymous joanaf escreveu...

11 de Setembro. Morreram milhares de pessoas. Ninguém esquece.
Morre o mesmo numero de bébés vitimas de aborto, POR DIA, nos EUA.
Façam as contas ás milhares de mães que nunca vão esquecer o seu acto irrversivel. Traumático. Para sempre.
Será que Portugal também quer participar deste "terrorismo doméstico"? Para a mulher e para o Bébé?
Só Há uma resposta - sim à VIDA
NÂO ao aborto!

10/28/2006 06:42:00 da tarde  
Anonymous joanaf escreveu...

11 de Setembro. Morreram milhares de pessoas. Ninguém esquece.
Morre o mesmo numero de bébés vitimas de aborto, POR DIA, nos EUA.
Façam as contas ás milhares de mães que nunca vão esquecer o seu acto irrversivel. Traumático. Para sempre.
Será que Portugal também quer participar deste "terrorismo doméstico"? Para a mulher e para o Bébé?
Só Há uma resposta - sim à VIDA
NÂO ao aborto!

10/28/2006 06:42:00 da tarde  

Enviar um comentário

<< Entrada