segunda-feira, outubro 23, 2006

Os homens não podem falar

Visto este blog ser constituido maioritariamente por homens, e muitas mulheres dizerem isto: «O aborto é uma questão que só diz respeito às mulheres. Não deveria ser discutida nem decidida por homens». Vamos dissecar este argumento, ridicularizando-o até!

1. Da mesma forma se pode dizer: «O roubo é uma questão que só diz respeito aos ladrões. Não deveria ser discutida nem decidida por pessoas honestas».

2. «A escravatura é uma questão que só diz respeito aos proprietários. Não deveria ser discutida por quem não tem escravos».

3. «O trabalho infantil (a pedofilia, a violação, a mentira, a loucura, etc) é uma questão que só diz respeito aos pais (ao pedófilo, ao violador, ao mentiroso, ao louco). Não deveria ser discutida por pessoas sem filhos (não pedófilos, eunucos, pessoas verdadeiras, psiquiatras, etc)».

4. É certo que só uma mulher pode abortar, mas não é certo que só uma mulher possa ser abortada. Logo, na medida em que meninos e meninas podem morrer dessa forma, a questão do aborto importa a todos os sexos. Além disso, todo o filho tem pai.

5. E para que uma pessoa possa falar sobre um crime, nem sequer é preciso que a pessoa possa de alguma forma ter parte ou ser vítima dele. Um juiz pode pronunciar-se sobre o caso de um pastor que roubou uma ovelha a outro. O juiz não tem ovelhas (pelo que não lhas podem roubar), não é parte na questão e contudo pode decidir com toda a autoridade.

6. O que interessa de uma opinião (posição ou afirmação) é saber se está certa ou errada. Se um homem se pronuncia sobre o aborto, a sua posição pode ser boa ou má por aquilo que diz e não pelo facto de ser homem. O mesmo se aplica às mulheres. Nenhuma fala acertadamente só pelo facto de ser mulher.

7. Além do mais o slogan é mau para si próprio. Se os homens, por não poderem ficar grávidos, não podem falar sobre aborto, as mulheres por não serem homens não podem falar sobre o que os homens não podem falar. Só um homem poderia dizer sobre o que é que os homens não podem falar.

8. Além do mais, se o slogan fosse verdadeiro, os homens não conseguiriam dizer nada acertado sobre o aborto pelo que mais fácil seria rebater o que eles dizem. Porque, então, se manda calar sem explicações um grupo de pessoas que não consegue dizer coisas acertadas?

9. Se os homens não podem falar sobre o aborto, todas as mulheres deveriam boicotar o referendo posto que este referenda uma lei proposta por um homem, o líder da JS, e o próprio referendo foi proposto por outro homem, o líder do PSD.

10. Além do mais, se os homens não podem falar pelo facto de não poderem engravidar, as mulheres que não podem engravidar também não poderão falar. Em rigor, só poderiam falar de aborto as mulheres que apresentassem um atestado de fertilidade. Há que levar o slogan até ao fim e sugerir isso mesmo.

11. Um crime arrasta outros crimes. O aborto é um crime e para o permitir não se tem pejo de limitar a liberdade de expressão a metade da sociedade. Convém recordar que também se discutiu muito se a Igreja Católica poderia participar na campanha do referendo e, já agora, em 1996 o presidente Bill Clinton, que é pró-aborto, tentou aprovar uma lei que proibia, com pena de cadeia, qualquer discussão em público sobre o aborto. Segundo essa lei, seria inclusive proibido, e punido com cadeia, tratar o aborto nos grupos de discussão da Internet.

12. A única forma de ganhar uma discussão quando não se têm argumentos, é eliminar os opositores.

13. Finalmente, alguns dos maiores grupos de defesa do direito à vida são, ou foram até há pouco tempo, dirigidos por mulheres. Por exemplo: Americans victims of abortion, Women exploited by abortion, American Life League, National Right to Life Commitee, Catholics United for Life, Americans against abortion.

Fonte

9 Comentários:

Anonymous Cristina Ribeiro escreveu...

Completamente de acordo!

10/23/2006 08:28:00 da tarde  
Blogger Rouxinol escreveu...

que táctica tão engraçada. Eles não explicam porque é que o aborto até às 10 semanas deve punido ( e não condenável ), eles julgam refutar argumentos que os apoiantes do sim nem sequer usam.
Isto é o rir.

10/23/2006 09:47:00 da tarde  
Blogger Camisa Azul escreveu...

Deve ser punido porque se esta a tirar uma vida.

10/23/2006 10:32:00 da tarde  
Blogger Rouxinol escreveu...

"Deve ser punido porque se esta a tirar uma vida."
Um embrião ainda não é uma pessoa, nem um ser individualizado. Não tem o sistema cerebral e nervoso ainda formado. É preferível a aborto até essa data, do que uma gravidez indesejada ou um aborto clandestino.
Abram outro site para pedir a criminalização dos cientistas que trabalham com células estaminais.

10/23/2006 11:31:00 da tarde  
Blogger Camisa Azul escreveu...

Com essa conversa ainda pedem o aborto para os nove meses.

10/23/2006 11:46:00 da tarde  
Anonymous Pardal escreveu...

É aqui que os argumentos do campo pró-escolha (no qual me incluo) costumam descarrilar. Por um lado é uma questão de escolha pessoal, na qual outras considerações não devem influir. Mas por outro, e para citar o senhor rouxinol "é preferível aborto até essa data do que uma gravidez indesejada". Sendo eu fruto de uma gravidez indesejada, que apenas foi levada a termo pela fé religiosa da minha mãe (fé que eu não partilho), peço-lhe que pratique a mesma contenção nas generalizações disparatadas que exige ao outro lado da barricada. A gravidez indesejada é um fenómeno mais frequente do que o senhor pensa, e não é a tragédia que pinta.
Vou votar "sim" à despenalização, mas sem a arrogância da certeza absoluta. Parece-me apenas a menos má de duas opções terríveis.

10/23/2006 11:49:00 da tarde  
Blogger Vera escreveu...

Essa senhora deve fazer filhos sozinha..pra dizer que os homens não têm que decidir... Mas tb acabou por empregar mal a palavra, porque o homem n tem q decidir..nem a mulher! Simplesmente a vida não é deles, é do filho, e se cá fora não têm direito de o matar, lá dentro da barriga tb não.

10/24/2006 08:07:00 da tarde  
Anonymous bigmac escreveu...

Em vez de ridicularizar, sustente... E tente faze-lo não se apegando a religião ou política... Consegue ter como fulcro de discussão uma possivel mãe, um possivel pai e uma possivel criança onde deveremos programar antecipadamente as minimas condições para que possa ombrear com os outros dentro da sociedade? Tente e não se esfume em fumaças....

10/28/2006 04:38:00 da tarde  
Anonymous Anónimo escreveu...

Acho que este é um assunto que toca a todos. Tanto homens como mulheres devem ter algo a dizer.No entanto estando proxima desta realidade devo relembrar que na MAIORIA dos casos, quem fica com os filhos indesejados são as mulheres. Passam por isso sozinhas e mudam a sua vida sozinhas. Os homens pisgam-se. Não sentem tanto a responsabilidade. Isto é um facto não debativel (se forem informados claro está).É mais facil ser irredutivel nesta questão no lado masculino. Porque não meteram isso como um dos pontos a ser debatido?

10/30/2006 04:52:00 da tarde  

Enviar um comentário

<< Entrada