terça-feira, fevereiro 12, 2008

Há Um Ano a Morrer

Segundo as estatísticas oficiais do regime, desde que foi legalizado o infanticídio, já morreram cerca de 6000 crianças vítimas de aborto. O que significa que, em um ano, cerca de 6000 pessoas foram impedidas de nascer devido à intolerância dos tolerantes.

Mas, é claro que para o regime este número é completamente irrelevante, desde que o dito crime seja realizado segundo as normas e práticas de higiene, impostas pelo Estado. Pois, também durante o holocausto, se começou por fuzilar "abortos", mas como o fuzilamento traumatizava os médicos e não seguia os padrões de higiene, passou-se a usar o fumo dos tubos de escape de automóveis como "abortífero". Passado algum tempo, o regime nacional-socialista chegou à conclusão que os automóveis eram poucos e pouco flexíveis, não dando vazão ao número excessivo de "abortos". Então, como forma de rentabilizar as práticas higienistas, passou-se a usar as câmaras de gás – chuveiros que, tanto cumpriam as normas sanitárias como permitiam uma limpeza muito mais a fundo.

Porém, como 6000 fica muito aquém das expectativas das estatísticas do Estado, este decidiu elevar o padrão de qualidade, incentivando a prática infanticida, desrespeitando a lei e liberalizando por completo o aborto. Segundo o regime, a meta a alcançar é de 25000 abortos ao ano. Ou pelo menos, esse foi o número que os facínoras do "Sim" apontavam como sendo o número de abortos praticados em Portugal, sem quaisquer condições de higiene.

Assim, rapidamente se chega à conclusão que o aborto, ao contrário do que nos prometeram, não é uma questão de direitos femininos, nem tão pouco feministas. O aborto é antes uma questão higiénica, estatística e negociável. Ou citando por duas vezes o camarada Estaline, o maior higienista da História:

«A morte de uma pessoa é uma tragédia. A de milhões é uma estatística.»
«O que é meu é meu, o que é vosso é negociável.»

Adenda:
1. A União Soviética foi o primeiro país do mundo a praticar o aborto livre, o segundo foi o Terceiro Reich. Ambos eram socialistas.
2. Elucidário Sobre o Aborto (um ano sobre a realização do presente elucidário permite-me ter uma visão mais crítica e abrangente das coisas, por isso deixo desde já as minhas desculpas por quaisquer gaffes de conteúdo ou forma por mim cometidas, na elaboração do mesmo)

2 Comentários:

Blogger Vítor Ramalho escreveu...

Parabéns pelo texto. Nunca nos podemos dar por vencidos.
Obrigado por continuar a escrever no blogue, já me andava a sentir um pouco “sozinho”.

2/13/2008 02:16:00 da tarde  
Blogger Demokrata escreveu...

Pois então aqui estou, sempre pela Vida contra o Aborto.

Um abraço.

2/13/2008 03:08:00 da tarde  

Enviar um comentário

<< Entrada