sexta-feira, janeiro 26, 2007

Jovens de Macau - Presentes!

"Portas do Cerco", monumento classificado pela UNESCO e Património Mundial da Humanidade
(fotografia tirada antes de 1999)
Por mais um combate pela Vida, pelos Valores e Direitos Universais da Civilização, nós jovens de Macau estaremos presentes na Caminhada Pela Vida!
Parte da campanha do "Sim" foi longe demais, mas de bem longe mostraremos o nosso rotundo "NÃO AO ABORTO"!
Podemos ter nascido longe, mas a má fé não nos engana!
Bem haja a verdade do Professor Jorge Miranda.

7 Comentários:

Blogger lionlichao escreveu...

Very good article,I prepared a very good gift for you, please visit my blog, The best browser fo you in History

1/26/2007 09:25:00 da tarde  
Anonymous Maria HM. escreveu...

Sinto-me verdadeiramente frustrada quando leio os argumentos da campanha pelo NÃO. Para além de ignorante e tacanha, é criminosa. A campanha pelo NÃO revela a grande irresponsabilidade e imaturidade que Portugal terá de saber superar, mais cedo do que tarde.

Vamos lá a ver se nos entendemos, agora bem claro...Fazer um aborto, nao é o mesmo que trocar de camisola, ir almocar com os ilustres colegas ou celebrar uma missinha aqui, outra ali. Nao hajam quaisquer tipo de equivocos, a mulher que opta pelo aborto é a mulher que toma uma das decisoes mais dificeis da vida - decisao esta que a acompanhará para o resto da sua vida. Este tipo de decisao nao depende da temperatura da agua do mar, este tipo de decisao é uma necessidade incontornável. O aborto é doloroso, quer a nível físico, quer a nível emocional. Entendidos? Ponto final.

Aos excelentíssimos defensores do NÃO, e aos membros da igreja que ferozmente defendem a continuação da penalização do aborto: é pena que a vossa contribuição seja limitada, superficial e pautada de juízos de valor mesquinhos e desnecessários. O vosso dever é contribuir de forma lúcida para uma sociedade sã, que respeite a integridade social, moral e cívica de TODOS os cidadões, homens e mulheres. A vossa função é assegurar que os mecanismos e entidades centrais (por exemplo, sistema nacional de saúde) estão aptos a oferecer todos os meios necessários de tratamento e acompanhamento aos cidadões portugueses.

O resto? Desvarios líricos, dinheiro público mal gasto. Salários pagos a “personalidades” que não teem competência e descernimento para ocupar cargos com responsabilidade pública relevante....e que revelam deficiências em participar em discussões públicas de forma responsável, capaz e baseada em factos sociais e científicos de outros países mais “civilizados” que o nosso.

É chocante ver o senhor cardeal fazer propaganda pela penalização do aborto. A igreja católica deveria ser, a meu ver, uma das primeiras instancias a oferecer apoio emocional a mulheres que fazem um aborto (e talvez, a familiares próximos). A posição do senhor cardeal, e da igreja católica portuguesa é egoísta e mesquinha. A posição da igreja católica portuguesa é semelhante á propaganda no tempo das trevas - e no tempo das trevas, passo a expressão, que fique apenas o Diabo.

É simples: como cidadã e contribuinte, é meu pleno direito o acesso ao serviço nacional saúde, assim como é meu direito receber assistência profissional em todas as situações que se destinem a assegurar o meu bem estar físico e emocional.. Se é um aborto ou se é um braço partido, isso é obviamente e exclusivamente da minha conta.

Finalmente, que se desmembrane o último dos mitos aqui envolvidos. O aborto não é feito pelas classes mais baixas. Pelo contrário. A diferença fundamental tem a haver com o poder de compra que cada um. A diferença está entre contractar os serviços de uma clínica particular especializada (ou não – o aborto não é um procedimento necessariamente acompanhado pelo médico, mas por um assistente qualificado) onde tudo é feito de forma profissional e sem riscos ou; ter de fazer um aborto numa chafarica sem quaisquer condições de higiene ou meios apropriados para efectuar o procedimento.

A campanha pelo NÃO é surda, cega e ..... deveria ser também, muda.

Maria HM. Empresária.

1/28/2007 01:12:00 da tarde  
Blogger Vera escreveu...

Ena..nunca vi alguém tão liberal!
Maria HM, só para não eprdermos muito tempo nisto, porque já vi que ética e cidadania não é o seu forte, a pergunta em referendo não é para dar um "sim" ou "não" à igreja católica. DEixe lá esse trauma com padres... E caso tb não saiba, um feto é vida, e ao fazer um aborto impede outra pessoa de viver, e é aí que reside o problema. Fazer um aborto não é cm cortar unhas ou pôr ligadura num braço.
Quanto às mulheres que não o fazem de ânimo leve, há casos e casos.

1/28/2007 04:44:00 da tarde  
Anonymous Anónimo escreveu...

Maria HM. Empresária
Porquê ficar-se pela continuação da penalização ou, inversamente, pela despenalização (a pedido).
Poderia tentar se tivesse vontade para tal, aproximar-se de um dos fulcros do problema, qual seja a liberlizaçao do aborto. Isto porque no que se refere a juizo de valores esta visto.
Zé Pedro

1/28/2007 11:34:00 da tarde  
Blogger Rui escreveu...

AHAHAHA Agora até roubam textos fora do contexto do Fernando Pessoa para legitimar os seus pseudo valores pela vida ahahaha..Vocês do Não adoram mandar nos outros, impor-lhes leis estúpidas como a do aborto e etc..QUANDO NÃO SE CONSEGUE LEGITIMAR IDEIAS OBRIGA-SE OS OUTROS A CUMPRIR AS REGRAS DO ESTADO, NÃO É AMIGUINHOS FASCISTAS?? Cambada de saudosistas de merda..

1/30/2007 04:47:00 da manhã  
Blogger Vera escreveu...

Outro que acha que a mulher está grávida de alfaces...

1/31/2007 03:37:00 da tarde  
Blogger Vera escreveu...

"A campanha pelo NÃO é surda, cega e ..... deveria ser também, muda."

Isto é que é fascista..ou melhor, estalinista.

1/31/2007 03:38:00 da tarde  

Enviar um comentário

<< Entrada