sexta-feira, dezembro 08, 2006

Alguém garante que o "Aborto" não faz parte da agenda e estratégia das Internacionais Socialista e Comunista?


Aborto: Papandreou ao lado de Sócrates na luta pelo «sim»
O presidente da Internacional Socialista, George Papandreou, garantiu hoje estar ao lado de José Sócrates na campanha pelo «sim» no referendo de 11 de Fevereiro de 2007 sobre a despenalização do aborto.
«José Sócrates está a lutar pela despenalização da interrupção voluntária da gravidez. Ele não está sozinho. Esta luta envolve mulheres de todo o mundo», disse.
«Estamos contigo», acrescentou, na sua intervenção durante o VII Congresso do Partido Socialista Europeu, que decorre no Porto.
Já na quinta-feira, no mesmo encontro, a candidata socialista às eleições presidenciais de França, Ségolène Royal, desejou «a José [Sócrates] e às mulheres a maior felicidade» na luta pelo «sim».
Diário Digital / Lusa
***
Interrogações de um jovem
.
Alguém garante que temas como "Aborto", "Eutanásia", "Ataques à Igreja e laicismo fundamentalista" e afins não fazem parte da agenda político-ideológica de influência marxista? Da sua tentativa de abalar os alicerces de uma visão e modo de viver tradicionais e civilizados próprios da humanidade? Da sua tentativa de se criar uma nova ordem internacional, em que valores e conceitos tradicionais da Família deixão de existir para que o indivíduo seja mais facilmente controlável pela "central sindical ou estatal" e atingir em fim último a tal sociedade "Sem amos, a Internacional"?
A diferença entre as chamadas esquerdas e direitas é que em alturas "H" as esquerdas todas se convergem para atingir um objectivo comum ou o ponto comum que têm nas suas agendas.
Estou bastante desconfiado... ainda mais a comunicação social estar a parecer fazer pura propaganda pelo "Sim". Houve um debate há dias sobre a temática do Aborto, feita por jovens, em que por acaso, na plateia estavam presentes 98% de apoiantes do "Não" e que os oradores do "Não" saíram-se eximiamente bem, na presença de uma jornalista do "Público" e ainda do seu fotógrafo, acabaram por não dar relevância ao caso, claro! Porque será? Talvez porque notícias pelo "Não" não são notícia, talvez porque o "Não" tenha ganho o debate, talvez porque publicar não ajuda em nada à tal "estratégia" das "Internacionais", que até prejudica. Eu acredito que "andem aí", porque lembrar-me disso é lembrar-se de António Gramsci.

6 Comentários:

Anonymous Luis Zyon escreveu...

a mim parece-me incrível como nos dias de hoje, em pleno sec. XXI, ainda há gente que pense assim como você, sr.Vitório Cardoso. Há valores que se impôe mais alto do que simplesmente os "valores e conceitos tradicionais da Família"...
Há o direito irrecusável que a mulher tem em decidir o que quer fazer da sua vida, porque o nossso papel enquanto homens, sr. Vitório, é muito simples, mas a mulher tem nas maos um problema muito maior...

Vamos lá de uma vez por todas largar o abrigo do crucifixo e começar a pensar por nós mesmos...
Já esta na horinha...

12/09/2006 12:43:00 da tarde  
Anonymous Paulo Costa escreveu...

Caro Luís,

Duas notas:
1º Ainda não percebi porque os argumentos do SIM têm sempre em vista a igreja(o abrigo do crucifixo). Este assunto pouco tem a ver com a religião, mas sim com questões morais e cívicas

2º o direito irrecusável que a mulher? E o direito do homem de ser pai? Que eu saiba na concepção e educação ele também participa. Se o SIM ganhar neste referendo o seu papel vai ser completamente ignorado (basta ver a pergunta).

12/09/2006 05:00:00 da tarde  
Blogger Vera escreveu...

"Há o direito irrecusável que a mulher tem em decidir o que quer fazer da sua vida"

Alguém disse o contrário?

Eu penso por mim mesma, sou agnóstica, se pudesse apoiava directamente a Plataforma do NÃO, e sinceramente...é triste ver a que ponto de desprezo pelos valores morais chegámos se o SIM ganhar. Também tenho alguns colegas que são contra a legalização do aborto, e olhe que todos lhe podemos dar justificações para tal sem recorrer ao cruxifixo, já que nenhum professa qualquer tipo de religião.

12/09/2006 06:31:00 da tarde  
Blogger Vitório Rosário Cardoso escreveu...

São esses os valores que exactamente nos distinguem (a Humanidade civilizada) dos animais selvagens ou vulgos selvagens.

12/09/2006 08:53:00 da tarde  
Anonymous Anónimo escreveu...

aaaaiiiiii já cá faltava a teoria da conspiração comuno-socialista... paranóicos! é que não há paciência!!!

12/12/2006 10:39:00 da manhã  
Anonymous Anónimo escreveu...

O que é incrível é que nos dias de hoje, em pleno século XXI, haja pessoas que se acham mais evoluídas porque são a favor do SIM à legalização do aborto. Se quiserem pensar pela própria cabeça chegarão à conclusão de que aqui o valor mais alto é o da vida humana. É que o argumento da evolução das sociedades também deve servir para comprovar através do estado actual da ciência, a qual demonstra claramente que dentro duma mulher grávida de dez, ou menos semanas, há já uma vida e que essa vida tem características que jamais algum ser humano que vier a nascer terá.
Os retrógados são aqueles que têm medo de ser chamados de retrógados. Use a razão e os dados que este século lhe proporciona e mesmo que não professe nenhuma religião, não descarte o crucifixo, um dia ele vai estar no seu caixão, ou nas suas cerimónias fúnebres. É que a morte é a única coisa certa desta vida.
Evolua meu caro amigo, este século é para si!

12/12/2006 07:24:00 da tarde  

Enviar um comentário

<< Entrada