terça-feira, dezembro 12, 2006

Apresentação do movimento cívico: "Liberalização do Aborto? Não!"

Desculpem a qualidade da image, mas o telemovél não é topo de gama!

Decorreu no auditório do IPJ em Aveiro, hoje, dia 12 de Dezembro, a apresentação pública do movimento cívico: "Liberalização do Aborto? Não!". Começou por volta das 17:40 e durou cerca de uma hora.
Fica aqui no Blog Pela Vida um breve relato do que se passou.

Enquanto iam chegando os interessados, eram projectados videos norte-americanos que apelavam à escolha pela vida. Vinham de um país onde em certos estados o aborto é premitido até aos novo meses. Não apelavam ao voto, mas à escola pela vida.

Já passava da hora maracada quando se faziam os ultimos preparativos e se vislumbrava a comunicação social presente. Para além da regional, estava lá uma equipa de reportagem da SIC.

A pouco e pouco o auditório foi ficando cheio e a espera demorada. Com 10 minutos de atraso lá começou a apresentação. Começou-se por descrever o painel que iria apresentar com o movimento através das suas intrevenções.

Intervieram: Madalena Cardoso e Costa, que leu o manifesto do movimento; Amandio Albuqueruqe, Médico e presidente da APAV Aveiro, que discursou sobre a sua experiência de vida; Telma Rocha, Advogada, que fez o enquadramento legal da questão do aborto; Vasco Lagarto, investigador de telecomunicações, que falou como cristão e como ser humano; Marilia Rua, enfermeira e professora universitária que evidenciou a falta de soluções decorrentes da liberalização do aborto; Manuel Carvalho e Silva, professor universitário, mais um testemunho de vida; e Filomena Ramos Pereira, obstetra, que enquadrou biologicamente o embrião.

2 Comentários:

Anonymous António Bastos escreveu...

Estou totalmente solidário com todos vós que se batem contra esse enorme retrocesso civilizacional que é o homicídio de inocentes no útero das suas mães.
Mudando de assunto, caro Irredutivel, e não se ofenda com o que lhe vou dizer mas o verbo intervir conjuga-se como o verbo vir mas com o prefixo inter por isso neste caso deve dizer-se intervieram e não interviram (viram é o pretérito perfeito do verbo ver, como sabe muito bem)
Obrigado pela sua colaboração (e de todos os que participam neste blog)no combate pelo respeito desse ABSOLUTO que é a vida humana.
Saudações

12/14/2006 12:26:00 da manhã  
Blogger Irredutível escreveu...

Obrigado pela correcção.

Como diz o meu irmão, pecar não é cair, mas sim, não se levantar!

12/14/2006 11:21:00 da manhã  

Enviar um comentário

<< Entrada